Quarta-feira, 27 de Julho de 2005
Chegou a chuva... finalmente!
rain dancer.jpg
(Imagem surripiada ao "O Blog da Pimentinha" - http://sabem.blogspot.com/)

Neste dia em que a água caída do céu fez, finalmente, a alegria da terra seca, das folhas amarelecidas pela seca e dos pólens que não chegavam a repousar em paz (já para não falar no consolo que senti ao acariciar-me o rosto sedento deesta frescura) lembrei-me de uma história contada há algum tempo...

AS VOLTAS QUE A ÁGUA DEU...

Como todos sabem, no princípio não havia água. Só havia o verbo. Depois apareceram o sujeito e o complemento directo. Mas ... água, nada! Sim, nada de nada!!
Todos começaram a beber vinho — era o que havia!!— e deus achou que era muito bom... ai, e lá isso era!!
Com o aparecimento das primeiras culturas do tipo comercial, tornou-se evidente que faltava qualquer coisa que pudesse aumentar a produção do vinho e torná-la mais rentável. Essa “qualquer coisa” era a água, claro!!
Mas continuava a não haver água e era necessário fazer-se rapidamente alguma coisa...
Foram contratados os maiores e melhores cientistas a nível mundial que puseram logo as suas mentes, pagas a preço de euros, a trabalhar em pleno, dia e noite, noite e dia (feriados e fins de semana incluídos!)...
As primeiras pesquisas, então ainda bastante primitivas, levaram à descoberta da água-pé. Parente pobre do vinho, só tem significado como primeira experiência desenvolvida pelo homem, mas não veio resolver o fim em vista: continuava a não haver água e era preciso, rapidamente, inventá-la!!
As pesquisas prosseguiram. Felizmente o homem é assim: teimoso que nem burro, mas nunca desiste! É isso que faz o progresso caminhar em frente (em frente é como quem diz...).
Largos tempos se passaram, as pesquisas desenvolviam-se com afinco, e chegou-se a nova descoberta: a aguardente!... Um produto melhor, muito melhor (experimentada no final das refeições pelos ditos cientistas), fortemente comercializável, mas não era ainda o objectivo desejado: continuava a faltar a água e, no sentido lato das economias dos países signatários do acordo, que falta ela estava a fazer!!!
Foi então que as civilizações nómadas, mais débeis economicamente, quiseram também dar um ar da sua graça: descobriram (diz-se que acidentalmente) a água-bórica. Nunca serviu para nada, do ponto de vista do projecto inicial!
Bem... os nómadas, no fim de uma jornada intensiva de trabalho, lá iam desinfectando com este produto os seus sapatos, vítimas inocentes do mau estado dos caminhos que calcorreavam no dia a dia das suas vidas... coisas lá dos nómadas!!!
Foi então que, no seio das culturas orientais, mais avançadas económica e tecnologicamente para a época, surgiu a grande invenção: um misterioso pó branco. Feito não se sabe bem de quê, mas bastava uma só pitada num pouco do ar à nossa volta, que o convertia, quase que por milagre, em litros e litros de água fresca e cristalina!

Estava, finalmente, inventada a água!

Foi, no princípio, usada exclusivamente para fazer vinho — ontem como hoje nem só de uvas se faz vinho! —...
Tornou-se, no entanto, com o desenvolvimento industrial - que de repente invadiu todo o planeta - bastante acessível e abundante.
Foi então que as grandes empresas internacionais, na mira do lucro fácil e da exploração dos povos mais primitivos, começaram a erguer os primeiros lagos e se deu início à construção dos rios mais pequeninos. Mais tarde, e porque faltavam estradas — e já se pensava, em termos de futuro, nas auto-estradas e na aldeia global — começaram a surgir os rios maiores e aqueles muito, muito grandes que, ao que se consta, já muitas pessoas os viram por aí...
Este desenvolvimento líquido teve como consequência o aparecimento de poderosas civilizações marítimas, que se desenvolveram de tal maneira e de forma tão rápida que nos puseram neste brilhante estado em que todos nos encontramos!!!

É o que fazem as invenções!... E o uso que se fazem delas!!

No entanto, e mesmo com a actual abundância, não devemos abusar dela, dada a tremenda explosão demográfica que se está a registar um pouco por todo o lado e os efeitos secundários que este produto pode provocar aos incautos dos utentes (por isso, antes de a usar, não se esqueçam de consultar o folheto que a acompanha. Em caso de dúvida ou se os efeitos persistirem, deve informar o seu médico ou o farmacêutico).

Por isso, dizem-nos os cientistas encarregues do projecto, é mais prudente e mais seguro beber-se gin.
De preferência sem água...



José Gomes
(Versão livre do texto de Wilson Gasosa)



publicado por zeca maneca às 23:26
link do post | comentar | favorito
|

4 comentários:
De anónimo a 6 de Agosto de 2005 às 02:54
Olá Zé
Bem esgalhada a versão livre da Invenção da Àgua.
Publicado no Jornal "O Coiso" por Wilson Gazoza, pseudónimo de Mário Henrique-Leiria.
Abraços.Vô Miquinho
</a>
(mailto:amendes@netcabo.pt)


De anónimo a 4 de Agosto de 2005 às 12:41
ola ze. encontras sempre coisas muito bonitas para colocares nos teus blogs. eu gosto muito de as ler. olha, estou vai nao vai para roubar tambem a imagem... ai a MP, ai, ai...

abraço da leonorleonoretta
</a>
(mailto:eximproviso@hotmail.com)


De anónimo a 28 de Julho de 2005 às 15:12
Gargalhadas:) muito giro:) beijoswind
(http://wind9.blogspot.com)
(mailto:sagit_126@hotmail.com)


De anónimo a 28 de Julho de 2005 às 14:10
O que eu aprendo contigo!!

Adorei o texto! Achas que a água-bórica, será boa para desinfectar as feridas do meu joelho??

Para a próxima não corro para atender o télélé... assim não caio pelas escadas!!

abraço carinhoso :)Menina_marota
(http://www.mgrande.com/weblog/index.php/eternamentemenina/)
(mailto:Menina_marota@sapo.pt)


Comentar o post

Lembrete

Uma noite com... Che

Sábado, 13 Outubro 07
21,30 horas
Anfiteatro do GDM Flor de Infesta
Rua Padre Costa, 118
4465 S. Mamede Infesta

sobre movimentum
A minha música
movimentuns recentes

Encerramento deste blog!

NOITES DE POESIA EM VERMO...

NOITES DE POESIA EM VERMO...

"UMA NOITE COM... CHE GUE...

Para que a história os nã...

Noites de Poesia em Vermo...

Noites de Poesia em Vermo...

Notícias Científicas da N...

Noticias Científicas da N...

Noticias Científicas da N...

Sonho de uma Noite de Ver...

Noites de Poesia em Vermo...

NOITES DE POESIA EM VERMO...

Estranhos no Paraiso

António Feijó

O nascimento de um Panda

Limpar o Almorode - a rep...

Limpar o Almorode - Divul...

Noites de Poesia em Vermo...

Vamos lembrar estas inici...

AVISO

Noites de Poesia em Vermo...

Auschwitz

Dançando com... as luzes!

Maio de 1968

Noites de Poesia em Vermo...

Noites de Poesia em Vermo...

1º de MAIO - o dia do Tra...

Noites de Poesia em Vermo...

25 de Abril, sempre! - 3

25 de Abril, sempre! - 2

25 de Abril, sempre! - 1

Parabéns, Noites de Poesi...

Noites de Poesia em Vermo...

Noites de Poesia em Vermo...

"DezSete" - Lançamento na...

Convite para DezSete

A reportagem de "Lume" em...

"Lume" de M. Mamede, apre...

Um abraço, professor...

Noites de Poesia de Vermo...

Noites de Poesia em Vermo...

Zeca Afonso - o Homem que...

ZECA AFONSO - Crónica de ...

Zeca Afonso - o Homem que...

NÓS E O AMBIENTE...

NOITES DE POESIA EM VERMO...

NOITE DE POESIA DE VERMOI...

NOITES DE POESIA EM VERMO...

João de Deus

movimentuns arquivados
Links
  • A.Filoxera
  • AiShiteNight
  • A Serra - Tatamailau
  • – Amita BrePrt
  • Amorizade - Jacky
  • Ana
  • Andorinha Negra
  • Carlos Beeez
  • C. Valente - Fotos
  • Chuviscos
  • Ex-Improviso - Leonor
  • Fátima P. (Ilhas...)
  • Fernando Peixoto
  • José Faria
  • Júlia Coutinho
  • Junta Freguesia Vermoim
  • LMatta
  • Lena d'Água
  • Leonor Costa (Nokinhas)
  • Lique – Mulher30a60
  • Lique - Novo
  • Lumife – Alvito
  • Lumife – Beja
  • Lumife – Saber…
  • MMarota MG
  • Menina Marota
  • Maria
  • Margarida - Saltap.
  • Maria Mamede (De Amor e de Terra)
  • Maria Mamede (Se não houvesse fronteiras)
  • Maria Mamede (Xangrilah)
  • Momentos e… Com. Ludovicus Rex
  • Movimentum 2
  • O Outro Lado da Lua
  • Pantanero (Machado)
  • Paula Raposo – páginas
  • Paula Raposo – Romãs
  • Pimentinha
  • Pimentinha Fotog.
  • Poesia Portuguesa - MMarota
  • Praia da Claridade
  • Repensando – Seila
  • Samuel
  • Sandra Daniela
  • Sophiamar (Isabel)
  • TMara
  • TMara2
  • Tatamailau – A. Serra
  • Turismo da Maia
  • Wind
  • Wind – Imagens
  • Zeca Telhado (Nau Catrineta)
  • Zia (fotografia)
  • Zia (página)
  • Zia (“AiShiteNight” em inglês)
    pesquise neste blog
     
    Outubro 2007
    Dom
    Seg
    Ter
    Qua
    Qui
    Sex
    Sab

    1
    2
    3
    4
    5
    6

    7
    8
    9
    10
    11
    12
    13

    14
    15
    16
    17
    18
    19
    20

    21
    22
    23
    24
    25
    26
    27

    28
    29
    30
    31


    RSS