Sábado, 8 de Abril de 2006
Recordando Abril... 2

 

Só há Liberdade a sério quando houver...

 

Às Forças Armadas e ao Povo de Portugal

«Não hei-de morrer sem saber qual a cor da liberdade»

(Jorge Sena)


 

CANTIGA DE ABRIL

 

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

 

Quase, quase em cinquenta anos
reinaram neste país
e conta de tantos danos,
de tantos crimes e enganos,
chegava até à raiz.

 

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

 

Tantos morreram sem ver
o dia do despertar!
Tantos sem poder saber
com que letras escrever,
com que palavras gritar!

 

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

 

Essa paz de cemitério
toda prisão ou censura,
e o poder feito galdério.
Sem limite e sem cautério,
todo embófia e sinecura.

 

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

 

Esses ricos sem vergonha,
esses pobres sem futuro,
essa emigração medonha,
e a tristeza uma peçonha
envenenando o ar puro.

 

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

 

Essas guerras de além-mar
gastando as armas e a gente,
esse morrer e matar
sem sinal de acabar
por política demente.

 

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

 

Esse perder-se no mundo
o nome de Portugal,
essa amargura sem fundo,
só miséria sem segundo,
só desespero fatal.

 

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

 

Quase, quase cinquenta anos
durou esta eternidade,
numa sombra de gusanos
e em negócios de ciganos,
entre mentira e maldade.

 

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

 

Saem tanques para a rua,
sai o povo logo atrás:
estala enfim altiva e nua,
com força que não recua,
a verdade mais veraz.

 

Qual a cor da liberdade?
É verde, verde e vermelha.

 

--------------------

Obras de Jorge Sena
"40 anos de servidão"
Edições 70 - 1989

----------------------
Quero agradecer o "roubo" da foto supra.
Aos companheiros, camaradas e amigos do http://graodeareia-attac.weblog.com/ e à autora Maria Velez o meu obrigado...
Porque recordar ABRIL sempre é uma obrigação da nossa geração.

José Gomes

 

 


sentimento: Isto não está a funcionar bem.
música: "Coro da Primavera" - José Afonso - Cantigas do Maio

publicado por zeca maneca às 00:16
link do post | comentar | favorito
|

4 comentários:
De TMara a 8 de Abril de 2006 às 01:58
recordar o k esoerámos fazer de Abril e não fomos capazes....É smp tempo de continuar.
Bom f.s. Bjs e ;)


De wind a 8 de Abril de 2006 às 02:40
Mais outro excelente poema! beijos


De Sylvia Cohin a 8 de Abril de 2006 às 11:33
A cor da Liberdade?
É também VERDE e AMARELA..... é!!!


De Maria mamede a 17 de Abril de 2006 às 10:12
Olá Zeca!
Admiro muito Jorge de Sena e considero muito belo, sentido e forte este Poema.
No entanto, para mim a Liberdade é de todas as cores, raças, credos, porque mesmo que se consiga a duras penas e nem sempre, ela estando dentro de nós, pode sempre existir no sentir e nas palavras e isso tem a cor que a gente quiser.
Beijos
Maria Mamede


Comentar o post

Lembrete

Uma noite com... Che

Sábado, 13 Outubro 07
21,30 horas
Anfiteatro do GDM Flor de Infesta
Rua Padre Costa, 118
4465 S. Mamede Infesta

sobre movimentum
A minha música
movimentuns recentes

Encerramento deste blog!

NOITES DE POESIA EM VERMO...

NOITES DE POESIA EM VERMO...

"UMA NOITE COM... CHE GUE...

Para que a história os nã...

Noites de Poesia em Vermo...

Noites de Poesia em Vermo...

Notícias Científicas da N...

Noticias Científicas da N...

Noticias Científicas da N...

Sonho de uma Noite de Ver...

Noites de Poesia em Vermo...

NOITES DE POESIA EM VERMO...

Estranhos no Paraiso

António Feijó

O nascimento de um Panda

Limpar o Almorode - a rep...

Limpar o Almorode - Divul...

Noites de Poesia em Vermo...

Vamos lembrar estas inici...

AVISO

Noites de Poesia em Vermo...

Auschwitz

Dançando com... as luzes!

Maio de 1968

Noites de Poesia em Vermo...

Noites de Poesia em Vermo...

1º de MAIO - o dia do Tra...

Noites de Poesia em Vermo...

25 de Abril, sempre! - 3

25 de Abril, sempre! - 2

25 de Abril, sempre! - 1

Parabéns, Noites de Poesi...

Noites de Poesia em Vermo...

Noites de Poesia em Vermo...

"DezSete" - Lançamento na...

Convite para DezSete

A reportagem de "Lume" em...

"Lume" de M. Mamede, apre...

Um abraço, professor...

Noites de Poesia de Vermo...

Noites de Poesia em Vermo...

Zeca Afonso - o Homem que...

ZECA AFONSO - Crónica de ...

Zeca Afonso - o Homem que...

NÓS E O AMBIENTE...

NOITES DE POESIA EM VERMO...

NOITE DE POESIA DE VERMOI...

NOITES DE POESIA EM VERMO...

João de Deus

movimentuns arquivados
Links
  • A.Filoxera
  • AiShiteNight
  • A Serra - Tatamailau
  • – Amita BrePrt
  • Amorizade - Jacky
  • Ana
  • Andorinha Negra
  • Carlos Beeez
  • C. Valente - Fotos
  • Chuviscos
  • Ex-Improviso - Leonor
  • Fátima P. (Ilhas...)
  • Fernando Peixoto
  • José Faria
  • Júlia Coutinho
  • Junta Freguesia Vermoim
  • LMatta
  • Lena d'Água
  • Leonor Costa (Nokinhas)
  • Lique – Mulher30a60
  • Lique - Novo
  • Lumife – Alvito
  • Lumife – Beja
  • Lumife – Saber…
  • MMarota MG
  • Menina Marota
  • Maria
  • Margarida - Saltap.
  • Maria Mamede (De Amor e de Terra)
  • Maria Mamede (Se não houvesse fronteiras)
  • Maria Mamede (Xangrilah)
  • Momentos e… Com. Ludovicus Rex
  • Movimentum 2
  • O Outro Lado da Lua
  • Pantanero (Machado)
  • Paula Raposo – páginas
  • Paula Raposo – Romãs
  • Pimentinha
  • Pimentinha Fotog.
  • Poesia Portuguesa - MMarota
  • Praia da Claridade
  • Repensando – Seila
  • Samuel
  • Sandra Daniela
  • Sophiamar (Isabel)
  • TMara
  • TMara2
  • Tatamailau – A. Serra
  • Turismo da Maia
  • Wind
  • Wind – Imagens
  • Zeca Telhado (Nau Catrineta)
  • Zia (fotografia)
  • Zia (página)
  • Zia (“AiShiteNight” em inglês)
    pesquise neste blog
     
    Outubro 2007
    Dom
    Seg
    Ter
    Qua
    Qui
    Sex
    Sab

    1
    2
    3
    4
    5
    6

    7
    8
    9
    10
    11
    12
    13

    14
    15
    16
    17
    18
    19
    20

    21
    22
    23
    24
    25
    26
    27

    28
    29
    30
    31


    RSS