Sexta-feira, 18 de Agosto de 2006
Esqueceram-se de Hiroxima e Nagasaki?

 

Para que a História não esqueça:

 

Passaram-se já 61 anos...

 

No dia 6 de Agosto de 1945, às 08,15 horas, um B-29 da força aérea americana, lançou a primeira bomba atómica sobre Hiroxima.
Um cogumelo de fumo e fogo elevou-se no ar matando, em pouco mais de meio minuto, 80 mil pessoas, ferindo mais de 75 mil e transformando a cidade num inferno de corpos, pedras e ferros derretidos.

 

No dia 9 de Agosto de 1945 [1], às 11,02 horas, a cidade de Nagasaki foi varrida do mapa por uma bomba de plutónio, detonada a 503 metros acima da cidade. 74.000 mortos foram o resultado imediato da explosão e dos vinte mil graus centígrados desenvolvidos pela bomba. Os 40.000 feridos imediatos iriam aumentar o número de vítimas mortais, com o decorrer dos anos, devido à exposição às radiações e às queimaduras portadoras, mais tarde, de leucemia e cancro linfático.

 

 


                                               Cinzas


— A bomba atómica americana (nessa altura ainda não estava classificada como “arma de destruição maciça”) foi “mais limpa” — em poucos segundos fez o mesmo que os nazis fizeram durante anos!
Só com uma pequena diferença... foi um feito da tecnologia ocidental, uma vitória da “ciência”, um largo passo no conhecimento da humanidade!


— Os nazis mataram em nome de um ideal — “limpar” a humanidade das raças impuras e preparar o novo milénio para acolher a raça ariana, a chamada raça pura!


— As bombas atómicas foram lançadas em nome do “Bem” e da “Democracia”, para eliminar da face da terra o “Espírito do Mal”, encarnado nessa altura pelos japoneses“... animais cruéis, obstinados, fanáticos...[2].


— Ontem, como hoje, os generais (estrategos[3] de todas as guerras) disseram que Hitler (e não só...) estava pronto a construir a bomba atómica, uma arma que iria inverter o sentido da guerra...


— Historicamente a destruição de Hiroxima e Nagasaki não teve razão de ser, uma vez que o Japão já estava de joelhos e rendia-se, pedindo apenas para preservar da humilhação o imperador e a sua família!


O presidente da América, os generais mais militaristas e os cientistas mais retrógrados não só quiseram vingar-se da destruição de Pearl Harbour, como também experimentar em seres humanos o “tal brinquedo novo” criado com engenho e arte pelos crânios brilhantes que se passaram para o lado dos aliados ...


— “(...) É o mais destruidor aparelho jamais construído pelo homem! No teste, fez uma torre de aço de 60 metros derreter-se como se fosse um sorvete aquecido (...)
[4]


Mas havia ainda outra razão, por trás do “jogo de xadrez” que são todas as guerras: — uma tentativa de intimidar Estaline e a União Soviética, pois no horizonte já se desenhava a chamada “guerra fria”... que viria a acontecer em 1949 quando a União Soviética, nos seus campos de experiências, fez explodir a bomba H (bomba de hidrogénio) um artefacto ainda mais destruidor que as bombas lançadas sobre as duas cidades japonesas.


Mas ontem como hoje, desde que o homem se conhece como tal, a guerra sempre serviu para os seus ideais megalómanos de expansão territorial, dominar os seus semelhantes naturalmente mais fracos, conquistar a riqueza e o poder... todos os meios justificam estes fins — sejam eles de cariz religioso, humanitário ou, simplesmente, intimidatório!...


Para completar este apelo à nossa memória colectiva, deixo-vos este registo:

1 – A construção e desenvolvimento da bomba atómica, denominada “Projecto Manhattan” (1942 – 1946), teve lugar em Los Álamos no deserto do Novo México; a bomba que foi lançada sobre Hiroxima era de Urânio-235 e a de Nagasaki de Plutónio;

2 – Ao fazerem a análise ao teste efectuado no deserto de Los Alamos e ao aperceberem-se das consequências da arma que tinham criado, os cientistas do “Projecto Manhattan” fizeram uma petição para anular a utilização destas bombas no Japão. Esta petição veio a “desaparecer” na gaveta do general Leslie Groves, supervisor do referido “Projecto”, em conivência com o então secretário de estado James Byrnes;

3 – O presidente Truman assinou a ordem de lançamento. Na altura da explosão encontravam-se em Hiroshima 24 americanos. Apenas cinco sobreviveram, mas por pouco tempo:

-         Três foram linchados;
-         Os outros dois morreram, onze dias depois, vítimas da radiação...

 

 

O Homem para sobreviver como espécie teve de aprender a matar;

O Homem se quiser sobreviver como espécie terá de aprender a amar.

 

 

 

José Gomes

18 de Agosto de 2006



[1] A cidade alvo era Kokura, mas devida à intensa barragem das baterias antiaéreas, o piloto do B-29 desviou-se do objectivo deixando cair a bomba em Nagasaki que era um alvo secundário.

[2] In “Diário Secreto” de Harry Truman, presidente dos USA (1945 - 1953).

[3] Seres “iluminados” que visam a criação, o desenvolvimento e a utilização adequada dos meios de coacção política, económica, psicológica e militar à disposição de poder político para se atingirem os objectivos por este fixados. (in Diciopédia, Porto Editora).

[4] In “Diário Secreto” de Harry Truman.

 


 

 

 

 


sentimento: ENVERGONHADO
música: Rosa de Hiroxima - Ney Matogrosso e Secos e Molhados

publicado por zeca maneca às 23:45
link do post | comentar | favorito
|

6 comentários:
De wind a 19 de Agosto de 2006 às 00:15
Concluiste tudo nas tuas duas últimas frases.
beijos


De Ludovicus Rex a 19 de Agosto de 2006 às 01:50
A História não esquece... a solução Final dos Eua, nem os que sofreram e ainda sofem com os efeitos destas bombas
Bom Fim de Semana


De FlordeLis a 19 de Agosto de 2006 às 19:20
Sabes o que é que me lembro muitas das vezes que se falam em guerras...? que as batalhas que se travavam anteriormente no tempo de Napoleão, nos tempos de conquista entre dinastias, reis e reinados eram mais verdadeiras, abertas, mais frontais.. não havia mortes em massa e havia confrontos também brutais, sim... mas os soldados iam para a guerra e sabiam o que os esperavam... Agora não. Apenas há um conflito de interesses de quem governa e quem sofre são apenas quem não tem interesse nenhum na guerra nem nos interesses que a motivaram.. assim como os casos de Hiroshima e Nagasáqui ... !!!!

Até breve...


De Sandra daniela a 19 de Agosto de 2006 às 21:06
Como podemos esquecer qdo ainda andam tantas pessoas e principalmente crianças a sofrer as consequências???


De TMara a 20 de Agosto de 2006 às 10:02
como poderia esquecer? tmb escrevi sobre o assunto no http://estranhosdias.blogspot.com/ e no http://orgiapolitica.blogspot.com/ remetendo para o texto k postei no ano passado (ficou link). A vergonha cresce com os últimos acontecimentos de guerra. Vê-se bem k a intenção é continuar , fazer guerra, destruri nações epovos, apropriar-se de riquezas. E são os dois "compadres" (ai, k me desculpem todos os alentejanos este uso do termo)
Bj. Luz e paz


De Ludovicus Rex a 21 de Agosto de 2006 às 18:23
Deixei-te um desafio no Momentos & Documentos...
Conto contigo!


Comentar o post

Lembrete

Uma noite com... Che

Sábado, 13 Outubro 07
21,30 horas
Anfiteatro do GDM Flor de Infesta
Rua Padre Costa, 118
4465 S. Mamede Infesta

sobre movimentum
A minha música
movimentuns recentes

Encerramento deste blog!

NOITES DE POESIA EM VERMO...

NOITES DE POESIA EM VERMO...

"UMA NOITE COM... CHE GUE...

Para que a história os nã...

Noites de Poesia em Vermo...

Noites de Poesia em Vermo...

Notícias Científicas da N...

Noticias Científicas da N...

Noticias Científicas da N...

Sonho de uma Noite de Ver...

Noites de Poesia em Vermo...

NOITES DE POESIA EM VERMO...

Estranhos no Paraiso

António Feijó

O nascimento de um Panda

Limpar o Almorode - a rep...

Limpar o Almorode - Divul...

Noites de Poesia em Vermo...

Vamos lembrar estas inici...

AVISO

Noites de Poesia em Vermo...

Auschwitz

Dançando com... as luzes!

Maio de 1968

Noites de Poesia em Vermo...

Noites de Poesia em Vermo...

1º de MAIO - o dia do Tra...

Noites de Poesia em Vermo...

25 de Abril, sempre! - 3

25 de Abril, sempre! - 2

25 de Abril, sempre! - 1

Parabéns, Noites de Poesi...

Noites de Poesia em Vermo...

Noites de Poesia em Vermo...

"DezSete" - Lançamento na...

Convite para DezSete

A reportagem de "Lume" em...

"Lume" de M. Mamede, apre...

Um abraço, professor...

Noites de Poesia de Vermo...

Noites de Poesia em Vermo...

Zeca Afonso - o Homem que...

ZECA AFONSO - Crónica de ...

Zeca Afonso - o Homem que...

NÓS E O AMBIENTE...

NOITES DE POESIA EM VERMO...

NOITE DE POESIA DE VERMOI...

NOITES DE POESIA EM VERMO...

João de Deus

movimentuns arquivados
Links
  • A.Filoxera
  • AiShiteNight
  • A Serra - Tatamailau
  • – Amita BrePrt
  • Amorizade - Jacky
  • Ana
  • Andorinha Negra
  • Carlos Beeez
  • C. Valente - Fotos
  • Chuviscos
  • Ex-Improviso - Leonor
  • Fátima P. (Ilhas...)
  • Fernando Peixoto
  • José Faria
  • Júlia Coutinho
  • Junta Freguesia Vermoim
  • LMatta
  • Lena d'Água
  • Leonor Costa (Nokinhas)
  • Lique – Mulher30a60
  • Lique - Novo
  • Lumife – Alvito
  • Lumife – Beja
  • Lumife – Saber…
  • MMarota MG
  • Menina Marota
  • Maria
  • Margarida - Saltap.
  • Maria Mamede (De Amor e de Terra)
  • Maria Mamede (Se não houvesse fronteiras)
  • Maria Mamede (Xangrilah)
  • Momentos e… Com. Ludovicus Rex
  • Movimentum 2
  • O Outro Lado da Lua
  • Pantanero (Machado)
  • Paula Raposo – páginas
  • Paula Raposo – Romãs
  • Pimentinha
  • Pimentinha Fotog.
  • Poesia Portuguesa - MMarota
  • Praia da Claridade
  • Repensando – Seila
  • Samuel
  • Sandra Daniela
  • Sophiamar (Isabel)
  • TMara
  • TMara2
  • Tatamailau – A. Serra
  • Turismo da Maia
  • Wind
  • Wind – Imagens
  • Zeca Telhado (Nau Catrineta)
  • Zia (fotografia)
  • Zia (página)
  • Zia (“AiShiteNight” em inglês)
    pesquise neste blog
     
    Outubro 2007
    Dom
    Seg
    Ter
    Qua
    Qui
    Sex
    Sab

    1
    2
    3
    4
    5
    6

    7
    8
    9
    10
    11
    12
    13

    14
    15
    16
    17
    18
    19
    20

    21
    22
    23
    24
    25
    26
    27

    28
    29
    30
    31


    RSS