Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Movimentum - Arte e Cultura

Movimentum - Arte e Cultura foi criado em Novembro de 1993. Ao longo destes 14 anos desenvolvemos trabalhos nos campos da Poesia, Artesanato, Exposições e Certames Culturais. Este blog pretende dar-lhe a voz que tem direito.

Movimentum - Arte e Cultura foi criado em Novembro de 1993. Ao longo destes 14 anos desenvolvemos trabalhos nos campos da Poesia, Artesanato, Exposições e Certames Culturais. Este blog pretende dar-lhe a voz que tem direito.

Movimentum - Arte e Cultura

27
Mar06

NOITE DE POESIA EM VERMOIM...

zeca maneca

A próxima "Noite de Poesia em Vermoim..." é já no sábado, dia 1 de Abril 2006.

 

O tema é "ABRIL DAS ÁGUAS MIL..."

 

Do programa destaco hoje o meu artigo (profundo, mas meti água que me fartei!!!!):

 

Abril das águas mil… prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Finais de Março…

Uma noite chuvosa a lembrar Abril, não fora o frio e o céu carregado de escuro!

Os faróis dos carros rasgam a cortina de água esparzindo, em todas as direcções, a que está acumulada no solo.

As árvores gemiam ao peso do vento, sacudindo dos seus ramos a água que as vergastavam!

Um ou outro transeunte, em fúria, atiravam para o chão os guarda-chuva esventrados pelo vento, acatando de má cara a bátega de água que molhava da cabeça aos pés.

 

Deixei o autocarro que parara na paragem a cem metros de minha casa. Mas não arrisquei abrir o guarda-chuva por duas razões:

- Primeiro, porque o comprara há pouco mais de uma semana na loja do chinês (tenho a certeza se o abrisse nestas condições de chuva/vento forte o pano abandonaria as varas metálicas, tal a força do vento!).

- Segundo, porque estava a uns escassos cem metros de minha casa. Era só uma questão de atravessar a rua… e com um pouco de sorte não seria um banho por aí além! …

 

Optei pela segunda hipótese… e em má hora!

 

Os bueiros não davam vazão às águas que já galgavam os passeios, fazendo da rua uma piscina com água agitada…

Mergulhei os pés na água fria, fustigada pelo vento que a atirava para as minhas calças e para a minha cara… Os meus óculos, rapidamente, se transformaram num aquário (só faltaram os peixinhos!).

Quando cheguei ao lado de lá da rua, à porta de casa, como por encanto a chuva parou, embora mantendo-se o vento a assobiar a pleno inverno.

 

Eu estava alagado até aos ossos!!!

 

Estamos em finais de Março! …

Com a promessa do Abril em Portugal, do Abril das águas mil! …

 

José Gomes

 

Até sábado.

Divulguem esta iniciativa do        ...

 

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2006
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2005
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D